COMO EMAGRECER DE VEZ? | como emagrecer – emagrecer rápido

 

Quão importante para você,  passar na frente do espelho e, ao invés de virar o rosto, você para, se olha, dá aquela suspirada, fica de perfil e abre aquele sorriso, orgulhoso(a) do corpo que você vê no reflexo?

* Quão feliz você se sentiria ao encontrar aquele amigo ou amiga sua na rua por acaso e ouvir “Nossa, você emagreceu né? Tá bem, hein?”

* Quão satisfeito(a) e de bem com a vida você ficaria ao pegar aquela sua calça jeans, vestir ela e sentir que ela cabe certinho, perfeitamente como não coube a muito tempo? Sabe quando você nota realmente que as roupas estão frouxa? Pois é…

* Quão feliz você se sentiria também ao se sentir mais desejado(a) pelo marido, esposa, namorado(a), etc?

* Imagine uma vida sem se preocupar com o peso, pra sempre.

Pra muitas pessoas, parece ser sonho e não realidade! Mas eu me oponho a isso e digo pra você que isso tudo é possível SIM e que VOCÊ pode conquistar tudo isso antes do

que espera!
EMAGRECER DE VEZ

 

 

QUAIS OS PREJUÍZOS À SAÚDE POR ESTARMOS ACIMA DO PESO?

O homem moderno está pagando as contas pela facilidade de conseguir alimentos. Além disso, a tendência ao consumo do fast-food representa sério empecilho para resolver o problema. Na hora do almoço, em vez de sentar-se e comer arroz com feijão e salada como se fazia antigamente, a pessoa aproxima-se dos balcões das lanchonetes e se contenta com um hambúrguer e um milk-shake, alimentos de alto valor calórico que provocam sensação de saciedade. A gordura tem essa vantagem: comê-la garante sensação de bem-estar, de estômago cheio. Por outro lado, a vida moderna está marcada pela falta de atividade física e não há o gasto calórico suficiente. Ninguém anda mais. Todos se vale do transporte coletivo ou, o que é pior, do individual. Portanto, estamos comendo mais e gastando menos. Do ponto de vista termodinâmico, estamos armazenando calorias. É bem verdade que existem indivíduos, infelizmente a minoria, que comem muito e gasta muito também. A regra, porém, não é essa.

Já se procurou, por muitos anos, uma causa metabólica primária para a obesidade. Existem as formas ditas genéticas que são extremamente raras, raríssimas. Até hoje, encontrei apenas um indivíduo de cabelos vermelhos obeso (os ruivos podem ter um defeito na produção de melanocortina), mas esse achado tem valor apenas para o estudo da fisiopatologia da obesidade.

Então, a experiência que tenho é muito ruim. Eu e todo o mundo. O que costumo sugerir para os obesos é uma alimentação razoável, porque dietas muito restritivas não têm mais cabimento nos nossos dias. O indivíduo não deve perder muito peso. Em torno de 7kg a 10kg no prazo de alguns meses melhora as complicações que a obesidade traz consigo.

O problema é tão sério que o número de cirurgias da obesidade, ou bariáticas, aumenta a cada dia. Para muitos obesos mórbidos não existe outra solução apesar de estarmos substituindo uma doença por outra.

O procedimento cirúrgico mais frequente em nosso meio é a cirurgia de Capela em que se reduz o volume do estômago. Não se consegue interferir, porém, na vontade de comer. O paciente para de comer porque se o fizer vomita, não aguenta o mal-estar. Conheço um indivíduo que passou a tomar leite condensado, alimento de alto valor calórico, como se sabe, mas que é aceito pelo estômago cuja capacidade ficou reduzida a 20cm³ aproximadamente.

 

acima do peso

Os homens perdem peso com mais dificuldade por causa da vida que levam.MULHER MALHANDO As mulheres perdem mais facilmente por interesse pela aparência do próprio corpo. A longo prazo, porém, ambos continuam gordos a não ser nos casos raros em que o individuo adere à medicação.

 

Obesidade e Riscos à Saúde

Todos sabem que os maiores causadores de mortalidade, tanto em homens como mulheres, são as doenças cardiovasculares e o câncer. Porém, poucos sabem que essas doenças fatal podem ser evitadas com o tratamento preventivo de suas causas.

A principal causa dessas doenças é a inflamação crônica subclínica, cujo principal vetor é a obesidade. A hipertrofia das células gordurosas, os adipócitos, produz uma série de substâncias mediadora de inflamação e a perpetuação dos níveis de insulina, causando resistência insulínica. Esses fatores promovem mais obesidade, aumento do colesterol, pressão arterial e glicose, causando a síndrome metabólica, onde esses fatores interagem sinergicamente produzindo risco elevado de doenças cardiovasculares e câncer. A obesidade tem várias classificações de acordo com o IMC (Índice de Massa Corpórea), que vai de acima do peso até obesidade grau IV. Quanto maior o grau de obesidade, maior o risco de comorbidades decorrentes dela, porém, qualquer grau de obesidade pode aumentar os riscos de doenças.

Para emagrecer com saúde, e acima de tudo, manter-se magro, é necessário ouvirmos a natureza e a fisiologia, buscando o equilíbrio metabólico, tratando as causas do desequilíbrio com recursos naturais, e não apenas os efeitos com medicamentos. Esse conceito é essencial para termos um envelhecimento saudável. Não adianta utilizarmos a melhor dieta, o melhor medicamento ou o melhor treinamento físico. O importante é a mudança de estilo de vida, desintoxicando e evitando a inflamação crônica causada pela obesidade. Uma alimentação equilibrada, exercícios regulares, medicamentos quando estritamente necessário, equilíbrio emocional, e acima de tudo, a conscientização de que estarmos acima do peso pode representar risco à saúde.

O modelo de medicina praticado hoje em todo o mundo, privilegia o tratamento das doenças já estabelecidas, através de medicamentos com potencial de produzir efeitos colaterais. Pior ainda, só trata-se a doença após os sintomas retratar seu estado estabelecido, e até avançado. Não seria mais interessante e inteligente identificar os sinais e sintomas, sinalizando que já está ocorrendo um desequilíbrio, trata-los da forma mais natural possível, antes que se estabeleça a doença? Portanto, qualquer nível de obesidade, muito mais do que incômodo estético,  é um sinal evidente de ameaça à saúde e qualidade de vida.

A Sociedade Brasileira para o Estudo da Fisiologia, SOBRAF, defende o modelo de medicina integrada preventiva regenerativa, baseado na identificação e correção dos desequilíbrios metabólicos, através da mudança dos hábitos e estilo de vida (nutrição, exercícios e equilíbrio emocional), nutracêuticos (nutrientes funcionais e vitaminas), fitoterápicos (medicamentos à base de plantas), equilíbrio hormonal através de hormônios isomolecular (estrutura molecular igual à produzida pelo corpo humano), e medicamentos convencionais, quando houver estrita necessidade.

Dessa forma, prevenimos com eficiência as doenças tendo em vista a excelência metabólica, que é muito diferente de ausência de doenças. A saúde plena com qualidade de vida é o objetivo de todos, e não estarmos doentes não significa estarmos em nossa melhor forma. As mesmas medidas adotadas para prevenir as doenças, restaura o equilíbrio metabólico necessário para obtermos um envelhecimento saudável. Envelhecer não tem que ser sinônimo de adoecer, e sim a recompensa pelo que plantamos ao longo da vida, com plenitude, entusiasmo e felicidade.

 

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *